NR 34 trabalho a quente: tópicos para responder as suas dúvidas

14 min. leitura

A NR 34 trabalho a quente ou NR 34.5 é a norma regulamentar que estabelece requerimentos mínimos para  as condições de trabalho em ambientes sob o risco de incêndio ou explosão, na indústria naval.
Trata-se da  Norma regulamentadora nº 34.5, faz parte de uma série de itens da NR 34 que visa a segurança dos trabalhadores da indústria naval, é uma disposição complementar ao artigo V da
lei trabalhista nº 6514.
 

O que é trabalho a quente

O trabalho a quente é quando a prestação de serviço é realizada  em ambientes que geram risco de incêndio ou explosão. Normalmente esses trabalhos estão ligados a esmerilhamento, solda, corte de metais, entre outras.
“34.5 Trabalho a Quente
34.5.1 Para fins desta Norma, considera-se trabalho a quente as atividades de soldagem, goivagem, esmerilhamento, corte ou outras que possam gerar fontes de ignição tais como aquecimento, centelha ou chama”.

 

NR 34 resumo

Além da NR trabalho a quente, existem outros 11 itens que compõe o regulamento, são eles: 

NR 34.5 Trabalho a quente
NR 34.6  Trabalho em Altura
NR 34.7  Trabalho com Exposição a Radiações Ionizantes
NR 34.8  Trabalhos de Jateamento e Hidrojateamento
NR 34.9  Atividades de Pintura
NR 34.10 Movimentação de Cargas
NR 34.11 Montagem e Desmontagem de Andaimes

NR 34.12 Equipamentos Portáteis
NR 34.13 Instalações Elétricas Provisórias
NR 34.14 Testes de Estanqueidade
NR 34.15 Fixação e Estabilização Temporária de Elementos Estruturais
NR 34.16 Serviços com apoio de estruturas flutuantes

Caso queira aprofundar- se em cada uma das NRs citadas acima, você pode consultar o site do governo e baixar o PDF.
Essas normas visam assegurar a vida e a integridade física dos trabalhadores na construção, reparação e desmonte da indústria naval. Se aplica desde navios até lanchas e plataformas móveis ou fixas. 
Entretanto, o cumprimento dessas normas não liberam os trabalhadores de outras normas previstas na lei trabalhista, como o uso obrigatório de EPIs.
Agora que você já sabe o que é a NR 34 e trabalho a quente vamos nos aprofundar com mais detalhes no tema deste artigo.  


 

Normativa regulamentar 34.5 trabalho a quente

Para ter permissão para trabalhar a quente é necessário seguir determinadas regras contidas na NR 34.5. Aqui listamos  as medidas preliminares que antecedem o início do trabalho a quente e as medidas cabíveis para garantir a integridade física dos trabalhadores com solda, uma das áreas mais da industrial naval.
 

Inspeção Preliminar

Deve ser feito uma inspeção prévia no local de trabalho para garantir que:

A área de trabalho e proximidades devem estar limpas, secas e livres de componentes combustíveis, inflamáveis, tóxicos e contaminantes;
A área pode ser liberada somente depois que  constatada a ausência de atividades que causem risco com o trabalho a quente;
O trabalho a quente só pode ser realizado por profissionais qualificados, conforme Portaria MTE n.º 1.897, de 09 de dezembro de 2013.

 

Proteção contra Incêndio

Os empregadores devem  tomar os cuidados necessários para proteger contra incêndio os locais onde são efetuados os  trabalhos a quente:
Eliminar possíveis perigos de incêndios;
Aplicar as devidas proteções físicas contra fogo, respingos, calor, fagulhas ou borras, para inibir o contato com agentes combustíveis ou inflamáveis, e evitar atividades paralelas ou aproximação de pessoas não preparadas;
Manter o livre acesso a extintores e outros sistemas de combate a incêndio  próximo ao local de trabalho, especificado tipos e quantidade de inflamáveis dos combustíveis presentes;
Averiguar a área trabalhada e proximidades ao ao terminar o serviço.

 

Controle de fumos e contaminantes

Para controlar os fumos e contaminantes derivados dos trabalhos a quente devem ser implantadas algumas precauções:
Limpar todas as superfícies e retirar os produtos de limpeza utilizados, antes de começar as operações;
Renovar o ar para eliminar gases, vapores e fumos empregados e/ou gerados durante os trabalhos a quente, garantindo assim a saúde dos colaboradores.
Quando houver alterações nas condições estabelecidas para o ambiente, o trabalho deve ser interrompido para avaliar e corrigir as medidas necessárias para renovar o ar.
O uso de equipamento de respiração individual ou de adução é obrigatório quanto o material do revestimento da peça  ou os liberados no processo forem desconhecidos conforme estabelecido no Programa de Proteção Respiratória - PPR.
Demais informações sobre o trabalho a quente podem ser consultadas na norma regulamentadora 34.5. A seguir vamos ver como evitar os acidentes provocados pela soldagem, por meio dos equipamentos qualificados.

 

Trabalho a quente solda

Os fumos contaminantes são liberados durante o processo de soldagem. Trata-se de minúsculas partículas metálicas que se soltam da peça que está sendo soldada e entra em contato com o oxigênio do ar, acontecendo assim a oxidação. Essas partículas são aspiradas pelo soldador durante a respiração e pode, entre outros danos,  se alojar no pulmão trazendo diversos riscos à saúde.
Para evitar esse dano, além do uso da máscara, outro item importante são os equipamentos que renovam o ar para eliminar gases, vapores e fumos empregados e/ou gerados durante os trabalhos a quente. 
A
Windtec, por exemplo, possui variados modelos de ventiladores e de exaustores para assegurar um ambiente saudável e livre de temperaturas muito quentes e áreas de risco. 
Os
exaustores são responsáveis por sugar  essas partículas no ato da soldagem, evitando assim que ela entre em contato com meio ambiente.
Já os ventiladores garantem um ambiente mais agradável, são responsáveis por controlar os níveis de temperatura e umidade do ar em ambientes fechados.
A NR 34 trabalho a quente foi publicada em 2011, dada a necessidade de garantir a saúde dos trabalhadores da indústria naval. Para que os trabalhadores estejam seguros não basta  apenas se adequar às regras. É necessário contar com fornecedores de confiança. A Windtec, por exemplo,  é uma das maiores referências do Brasil em virtude da qualidade dos seus
ventiladores e exaustores industriais.